Avenged Sevenfold indicado para Loudwire Music Awards

Postado por Thammy Sartori - 26/12/2016 - Sem comentários

O Avenged Sevenfold está concorrendo à “Melhor vídeo de Metal”  e “Melhor música de rock” pela Loudwire Music Awards com “The Stage”.
Para votar na banda clique aqui, lembrando que as votações vão até o dia 10 de janeiro e vocês podem votar a cada uma hora.

E lembrando que nosso querido Mike Portnoy também está concorrendo como “Melhor baterista do ano”.

 

6th Annual Loudwire Music Awards

Metal Insider e Mike Portnoy conversam sobre Avenged Sevenfold e a comunicação com os fãs

Postado por Lucas - 07/04/2012 - 7 comentários

A Metal Insider recentemente conversou com Mike Portnoy e os dois abordaram sua experiência com o Avenged Sevenfold como algo “revigorante”, sua experiência ao tocar com a banda, estando com eles temporariamente, e como ele não queria perder sua legião de fãs enquanto tocava com eles.

Você queria fazer algo que, por falta de um termo melhor, fosse mais simples em relação à bateria (percussão)?

Sim, depois da minha experiência com Avenged Sevenfold, eu acho que eu realmente estava procurando por algo nessa linha. Eu fiz a Uproar Tour com eles e nós ficamos fora com as bandas Disturbed, Stone Sour e Hellyeah. E eu realmente gostei do ambiente e do tipo de música que era enraizada em riff, tinham grandes arranjos de groove e uma composição orientada. Foi um momento legal e divertido, e não tive que pensar muito. Não que haja algo ruim em pensar, eu fiz uma ótima carreira através disso, e ainda aprecio música complexa. Mas de vez em quando, você precisa de um tempo e precisa de algo novo e revigorante. Essa experiência com Avenged Sevenfold foi revigorante para mim e após essa experiência, eu, de fato, queria algo nessa linha. Então quando eu ouvi as músicas do Adrenaline Mob, foi exatamente a música certa na hora certa para aquilo que eu estava procurando.

Existe mais alguma coisa de que você tirou proveito ao tocar com o Avenged Sevenfold?

Eu só curti a experiência. Como acabei de dizer, foi divertido. Eu não tive que tomar nenhuma decisão para controlar algo criativamente. Basicamente eu estava lá somente para tocar bateria e ajudar àqueles caras se erguerem novamente. Mas a experiência foi uma coisa boa e acho que servimos como pontes uns para os outros. Acredito que servi como uma ponte para ajudá-los a se refazerem, para levá-los onde precisavam ir, com um novo, jovem e desconhecido baterista e eles serviram como ponte para eu ir aonde precisava ir chegar nesse novo capítulo da minha carreira. Então eu acho que ajudamos uns aos outros para chegarmos aonde precisávamos e crescemos com a experiência.

Então você sempre teve em mente que isso seria algo temporário?

Sim, penso que, durante todo o tempo, meu propósito foi ajudá-los a voltar à estrada e pagar tributo ao The Rev, e isso era tudo que seria. Eu acho que uma vez que saí do Dream Theater, a coisa toda se desviou. Acho que a imprensa e a mídia espalhou tudo e criou a coisa toda em cima de mim. Nunca foi para ser sobre mim e nunca quis que isso fosse sobre mim. Eu estive sempre lá para ajudá-los e pagar tributo ao Jimmy, e então seguir em frente. Eu não estava me juntando à banda, nunca foi essa a intenção. Uma vez que toda a controvérsia e o drama sobre o Dream Theater apareceram, era óbvio que todos nós precisávamos seguir em frente e voltar a se focar em onde a intenção original estava tempo todo.

E você sempre foi ativo na comunicação com os fãs, até na época antes de Facebook e Twitter. Isso tem sido importante para vocês desde o começo?

Sim, tem sido crucial para mim, até mesmo no comecinho, nos meados dos anos oitenta quando o Dream Theater ainda era Majesty. […] Eu sempre participei disso. E agora na era da mídia social, com Facebook e Twitter, eu acredito que é uma incrível ferramenta para continuar em contato com os fãs, ouvindo que eles têm a dizer e mantendo-os informados. Eu sempre fui a favor disso e isso não vai mudar agora, mesmo não estando no Dream Theater. Eu ainda irei colocar isso mentalmente e fisicamente em prática, em tudo que eu faço.

Mas não é como se não tivesse me ferido. Tem sido ótimo porque eu estou em contato com os fãs e os mantenho envolvidos dia após dia. Mas tem me machucado de certa maneira porque eu sou tão aberto com os fãs, em muitas das vezes, e as coisas que eu digo se espalham e tomam outros rumos, outros sites, que tentam e sensacionalizam tudo, espalham as coisas e tentam criar tempestades em copos d‘água. E tudo o que estou fazendo é somente para tentar ficar em contato com os fãs. Eu sei que com o Avenged Sevenfold, eles não gostavam da mídia social. Uma vez que estivesse em turnê com eles, eu não iria simplesmente cortar o contato com os meus fãs porque estava em turnê com uma banda que não era muito aberta. Eu ainda precisava ter essa relação aberta com os fãs. Então mesmo quando estava com Avenged, eu precisava ter esse contato e relação com os fãs, eu não ia simplesmente parar de falar com eles. Eu sei que uma vez que tudo desmoronou com o DT, e eu ainda estava tentando ser aberto com os fãs e ainda tentando explicar as coisas, a mídia pegou e fez com que isso se espalhasse em proporções ridículas. Foi a lugares onde realmente não precisava ter ido, mas tudo o que eu estava fazendo era o que sempre fiz. Tentando ser muito aberto, direto e sem besteiras, sem reservas para com os fãs. Sempre valorizei essa relação e não será algo que vai mudar.

Agradecimentos: Taiana / Jessie

Mike Portnoy trabalharia outra vez com Avenged Sevenfold?

Postado por Lucas - 18/03/2012 - 57 comentários

Zoiks! Online recentemente realizou uma entrevista com Mike Portnoy sobre Omerta, primeiro trabalho de sua banda Adrenaline Mob’s, que está nas lojas agora. O website convidou os fãs a enviarem perguntas a serem respondidas e um de Avenged Sevenfold perguntou se Mike alguma vez trabalharia com a banda de novo. Mike respondeu:

Z!: @nala_gates Gostaria de saber se você colaboraria de novo com Avenged Sevenfold se eles pedissem?

MP: Claro, se eles pedissem. Eu tive uma grande experiência com eles. Eu adorei seus fãs, eles foram sempre tão bons, abertos e acolhedores comigo. Sim, eu olho para trás com boas memórias da experiência e se eles alguma vez precisarem da minha ajuda ou serviço eu seria grato de ajudá-los novamente.

Agradecimentos: Taiana

Mike Portnoy sobre seu tempo com o A7X: “Foi uma grande experiência”

Postado por Lucas - 12/03/2012 - 18 comentários

Mike Portnoy recentemente falou com o Noisecreep sobre Flying Colors, Adrenaline Mob e refletiu sobre seu tempo com Avenged Sevenfold.

Agora que você está longe do seu tempo preenchido no Avenged Sevenfold, como você olha para trás?

Foi uma grande experiência. A coisa do Dream Theater ficou demais em evidência, e essa nunca foi a intenção. A intenção o tempo todo foi estar lá, servi-los e à memória de Jimmy. E foi ofuscada no final, o que nunca foi minha intenção. O hype da mídia explodiu com tudo, então eu entendi totalmente sua necessidade de seguir com um baterista mais novo. Eu vim com história e bagagem. Por mais que eu ame esses caras, eu twitto e mantenho contato com meus fãs no Facebook, enquanto eles já são mais reservados. Faz todo, todo sentido seguir com alguém novo e jovem.

Agradecimentos: Taiana

Mike Portnoy cita o Avenged Sevenfold em entrevista.

Postado por Tate - 04/03/2012 - 29 comentários

O baterista do Adrenaline Mob, Mike Portnoy conversou com a Ultimate- Guitar sobre o primeiro álbum da banda, “Omerta”. Na entrevista ele fala um pouquinho sobre o período que esteve em turnê com o A7X. Confira a tradução.


Você gravou o EP do Adrenaline Mob in Agosto de 2011. Você gostou da ideia e quis dar continuidade com um álbum completo?

Esses caras me abordaram. Mike Orlando e Russell Allen já estavam trabalhando no material um tempo antes de eu ficar à disposição com minha carreira e minha vida. Quando isso aconteceu ,  Russeu chegou em mim disse: “ Hey, ouve isso. Você gostaria de participar?”  E na hora que eu ouvi os primeiros 30 segundos de “ Undaunted”  , eu decidi que sim. Essa era uma das coisas na qual eu  queria participar depois da minha experiência com o Dream theater e Avenged Sevenfold. Eu sabia que eu queria ter alguma coisa que fosse um hard rock bem foda e não o progressivo. Algo que fosse divertido e com energia e assim que eu ouvi o material que o Russ e o Mike fizeram, ficou muito obvio pra mim que eu queria fazer parte.

Você trouxe aquele estilo do Avenged Sevenfold para o Omerta ?

Com certeza. Adrenaline Mob veio logo após o fim da minha experiência com o A7X então eu estava muito ligado a eles ainda. Eu tinha acabado de fazer a Uproar tour com eles e eu estava cercado de bandas como Disturbed, Stone Sour , Hellyeah e Halestorm.  Eu estava completamente naquele ambiente e estilo e tive um momento incrível com o Avenged Sevenfold, tocando as musicas que eram divertidas de tocar e eu não precisava ficar pensando para executa-las. Eu podia literalmente chegar lá e tocar e essa é a vivacidade do Adrenaline Mob. Então era a banda perfeita, lugar e hora perfeitos para eu estar.

Créditos: Deathbatnews & Paula Quissack

Portnoy e o disco

Postado por Lucas - 27/04/2011 - 38 comentários

Mike Portnoy recebeu há pouco tempo atrás um disco de ouro do Nightmare pelo correio por causa de sua participação na gravação do CD.
Tweetou o link para foto e o seguinte recado:

“Olha o que acabou de chegar do correio! :) Muito obrigado aos fãs do A7X por me fazerem sentir tão bem vindo durante meu tempo com a banda.”

Portnoy e o Disco de Ouro de Nightmare

 

Redes Sociais

Último Vídeo

Turnê


    10/01 – Glasgow, Escócia
    12/01 – Newcastle Upon Tyne, Tyne and Wear
    13/01 – Birmingham, Inglaterra
    15/01 – Sheffield, Inglaterra
    16/01 – Manchester, Inglaterra
    18/01 – Nottingham, Inglaterra
    19/01 – Cardiff, País de Gales
    21/01 – Londres, Inglaterra
    22/01 - Londres, Inglaterra
    12/02 – Frankfurt, Alemanha
    13/02 – Hamburgo, Alemanha
    15/02 – Berlim, Alemanha
    16/02 – Düsseldorf, Alemanha
    18/02 - Amsterdam-Zuidoost, Holanda
    20/02 – Estugarda, Alemanha
    21/02 - Rudolfsheim-Fünfhaus, Áustria
    25/02 – Munique, Alemanha
    26/02 – Zurique, Alemanha
    28/02 – Lila, França
    01/03 – Luxemburgo, Luxemburgo
    02/03 – Paris, França
    04/03 – Copenhague, Dinamarca
    07/03 – Helsínquia, Finlândia
    09/03 – Estocolmo, Suécia
    10/03 – Oslo, Noruega
    07/05 – Kannapolis, Carolina do Norte

Facebook