Zacky Vengeance: “Os fãs pediram Fiction”

Postado por Lucas - 03/07/2012 - 2 comentários

Uma rádio canadense conversou com Zacky Vengeance antes do show da banda em Quebec. Eles falaram sobre a turnê na Ásia, o show em Quebec, o festival em Orion e os planos para o futuro. Confira a tradução abaixo. Você pode escutar o áudio aqui.

Entrevistador: Estamos aqui em Quebec. Vocês estavam lá no Festival D’été no ano passado, o que vocês esperam do primeiro show desde que vocês voltaram da turnê pela Ásia? O que vocês esperam essa noite?

ZV: Ow cara, estamos muito animados. No verão passado, no festival, foi incrível, os fãs foram maravilhosos. Nós estávamos muito animados por voltar e fazermos um show só nosso para nossos fãs mais próximos, nós realmente amamos isso. Amamos Quebec, então hoje à noite será um show incrível.

Entrevistador: Tem alguma coisa a ver vocês estarem reservados somente pro no Festival D’été e fazendo uma mini turnê de verão? Vocês escolheram Quebec City o isso simplesmente aconteceu? Digo, vocês não estão em Montreal nessa turnê…

ZV: Sabe, nós queríamos voltar em Quebec porque o show do verão passado foi muito divertido e nós estamos querendo isso. Nós vamos tocar com o Metallica no Orion festival que está por vir e quando disseram que iríamos fazer apenas um show, nós escolhemos as cidades no qual são relativamente perto e que gostaríamos de tocar e…acabamos caindo aqui.

Entrevistador: Vocês estavam em turnê pela Tailândia, Malásia e assim vai… Foi a primeira vez que vocês foram para lá?

ZV: Nós tocamos em varias cidades na Ásia nessa ultima vez que estávamos por lá e em algumas delas foi a primeira vez. Já estivemos no Japão, Singapura, Tailândia, Indonésia antes. Mas dessa vez incluímos Taiwan, Malásia e os shows foram maravilhosos. Um incrível número de pessoas, os fãs eram selvagens, shows bem grandes. É muito legal quando comparecemos em lugares que não são muito frequentes ou lugares que nunca fomos e ter todos os ingressos esgotados, uma turnê com tudo esgotado. Os fãs são ótimos e isso é muito divertido.

Entrevistador: Vocês tocaram alguma música diferente que vocês não costumam tocar aqui?

ZV: Sim, colocamos “Fiction” na nossa lista, pois perguntamos aos fãs nos países o que gostariam de ouvir e muitos deles responderam “Fiction” e havia noites que víamos a multidão pedir por certas músicas, algumas noites foram God Hates Us, nós sempre adicionamos A Little Piece of Heaven lá e os fãs por todo mundo pareciam gostar isso. A gente tenta misturar um pouco e tentar tocar o que as pessoas querem ouvir.

Entrevistador: Bom, agora vamos para a parte mais técnica da entrevista: pra mim, sua assinatura são os arpejos que você usa com frequência nas suas músicas. Há alguma razão por você adorar trabalhar sempre com esses arpejos?
ZV : Quando a gente seleciona as lead guitars ou fazemos a as melodias, nós somos muito preocupados na escolha das notas que usamos, porque muitas pessoas vão executar os solos e várias vezes a gente usa notas que são meio genéricas e coisas do tipo para incorporar habilidades próprias e únicas . Os arpejos fazem parecer incrível, agiliza as coisas e funcionam quando a musica tem mais pegada e coisas do tipo. É só um estilo que aprendemos a tocar e é legal de incorporar e legal de tocar.

Entrevistador: Falando em aprender, eu li que você começou tocando em uma guitarra para destro e aí você mudou para uma de canhoto. Você já viu o Michel Angelo Batio com uma guitarra de braço duplo? Você já tentou fazer algo parecido como ele, tocar de um lado depois com o outro?

ZV: Eu nunca tentei aquilo. Já assisti aos vídeos, é absolutamente muito louco, eu nem sei como começar a fazer aquilo. Tocar de um lado já é difícil o suficiente e assistir aquele cara tocando duas guitarras ao mesmo tempo é louco demais.
Entrevistador: Qual o seu treino antes do show? O que você faz antes de pegar na guitarra?
Eu apenas treino algumas músicas, as partes que fazemos os duetos e as partes que lideram só para ter certeza que eu lembro delas. O Johnny e o Synyster se aquecem mais. Eu vou mais nas partes que eu mais preciso e guardo minha energia para quando eu estiver no palco. Eu escolho somente duas ou três musicas para praticar, tipo só para aquecer os dedos, tirando isso deixo tudo para os palcos.
Entrevistador: Nós vamos ouvir uma música. Qual música você quer ouvir de toda a discografia do Avenged Sevenfold?
ZV: Qual música?

Entrevistador: Qualquer música, pode ser um single, pode ser qualquer uma.

ZV: Ah cara, que pergunta difícil. Eu acho que minha favorita no momento para ouvir ou tocar, provavelmente seria “Buried Alive”. Eu tenho muito orgulho dessa música e do jeito que ela foi muito gravada, é muito dinâmica e quando é ao vivo é realmente muito divertido de tocá-la. Então eu diria “Buried Alive”.

Entrevistador: Então, Zacky, o que aguarda para vocês depois desses shows em Quebec, depois em Connecticut, Orion Festival com o Metallica?

ZV: Ficamos em casa por um tempo, somente descansando e logo após esses shows, descansaremos por um período um pouco mais longo no verão. Nós nunca tivemos um verão para ficar em casa e apenas descansar. Mas depois disso, assim que o verão acabar, vai ser a hora de nos reunirmos e começarmos a escrever e trabalharmos em um novo material. Ficaremos muito animados em lançar um novo álbum. Começaremos apenas o processo de composição. Você nunca sabe no que vai dar quando você começa, mas tomara que tenhamos algumas musicas nas quais estaremos muito orgulhosos e aí trabalharemos nelas para podermos grava-las e voltaremos com o pé na estrada de novo. Espero que o quanto antes.

Avenged Sevenfold responde perguntas dos fãs

Postado por Lucas - 08/06/2012 - 8 comentários

A7X

A primeira leva de perguntas feitas ao Avenged Sevenfold foi respondida e você confere abaixo a tradução.

Divirtam-se com a primeira jornada de perguntas respondidas pelo Zacky V do Avenged Sevenfold. Muito obrigada por se inscreverem na nossa lista para receber os e-mails com as respostas. Temos muito mais pela frente para todos inscritos na lista.

Justin Storm: Vocês estão em processo para um novo álbum?
No momento estamos somente descansando. Demos tudo o que tínhamos no álbum Nightmare e nos 2 anos no qual a turnê seguiu. Queremos estar prontos e focados quando chegar a hora de entregarmos aos nossos fãs a próxima peça.

Ollie Jeanes: Quais são os hobbies de vocês quando não estão em turnê?
Eu coleciono muita coisa macabra. Eu também gosto de colocar a musica pra tocar bem alta. Gosto de dirigir por aí no meu (carro) 1962 continental. Também gosto de brincar com meus cães e rato. Mas eu gosto de manter o foco no A7X porque o mundo e grande e nossos fãs não descansam. Eu gosto da Vengeance University, isso me mantem por dentro de tudo e também é a fonte da juventude.

Adnan Alihodzic: Qual o momento mais estranho que vocês já viveram?
São tantos que não da pra contar. A lei de Murphy é uma coisa real. Tudo que puder dar errado, vai dar errado. É tudo questão de se divertir quando se esta no palco. Nós costumávamos a sair nos tapas por causa de problemas técnicos que aconteciam e agora que estamos um pouco mais velhos e estabilizados e podemos rir disso. Enquanto nossos fãs estiverem se divertindo, nós também estaremos.

Christie Murdoch: Qual é a sua lembrança mais engraçada?
Quando acendi um palhaço no fogo…

Steve Holtz: Qual é seu guitarrista favorito hoje em dia?
Synyster Gates, porque eu gosto dele e ele é engraçado e um grande parceiro de bebedeira. Para mim ser bom em um instrumento não é tão impressionante quanto ser maravilhoso na vida.

Para receber a próxima leva de perguntas (em inglês) respondidas, basta cadastrar seu e-mail no site oficial

Zacky Vengeance em entrevista ao Hoppus on Music (Vídeos Legendados)

Postado por Lucas - 07/04/2012 - 10 comentários

Frank Iero do My Chemical Romance entrevistou Zacky V. para o programa Hoppus on Music, da Fuse TV. Diversos clipes da entrevista estão sendo colocados no ar e começamos a legendá-los.

 

 

(Ler mais…)

Lista dos melhores guitarristas modernos pela Artist Direct

Postado por Lucas - 11/01/2012 - 44 comentários

O site Artist Direct, em seu artigo Os Titãs das Seis Cordas do Século XXI: Lista dos melhores guitarristas modernos, elegeu os melhores guitarristas atuais sem ordem de importância. O Avenged Sevenfold entrou na lista com Synyster Gates e Zacky Vengeance, com o álbum Nightmare:

“Você já ouviu falar de ópera-rock? Bem, com o passar dos anos, o A7X evoluíu para uma forma gloriosa de ópera-heavy metal. É quase como uma mistura de Guns N´Roses e O Estranho Mundo de Jack, não é? E hey- não estamos aqui pra reclamar. Amamos os dois! Viva o Avenged e suas incríveis ambições musicais”.

Entrevista com Zacky para a revista “Rage”

Postado por Lucas - 26/07/2011 - 17 comentários

A revista autraliana Rave conversou com Zacky Vengeance sobre a perda de Jimmy, o processo de gravação do Álbum Nightmare, Mike Portnoy e Arin Ilejay. Confira a tradução da matéria abaixo.

Devido a morte prematura do baterista Jimmy ‘The Rev’ Sullivan no fim de 2009, o guitarrista Zacky Vengeance falou a Birdie que ‘Nightmare’ era um nome apto para o álbum da banda de metal Avenged Sevenfold que finalmente lançou seu quinto álbum ano passado.

2010 foi o período mais devastador para a vida dos membros da banda com a inesperada morte do baterista e ‘irmão’, mas marcar seu álbum pela primeira vez em primeiro lugar nas paradas, Nightmare não poderia ter sido um presente melhor para Sullivan, diz Vengeance.

“A morte do Jimmy foi o maior soco que qualquer um de nós poderia receber na vida,” ele afirma. “É algo que você nunca pode se preparar, ainda não parece real. Em um momento, tudo se foi. Nós viemos de um começo para um álbum inacreditável – da parte sonora e um dos melhores anos de turnê fazendo uma quantidade decente de dinheiro, finalmente – até que o mundo todo ficou de ponta cabeça. Perder o Jimmy foi horrível e eu não desejo isso nem para meu pior inimigo. Sem trocadilhos – mas foi um pesadelo. Ninguém consegue lidar com isso

A primeira ‘luz no fim do túnel’ como Vengeance coloca, veio na forma do ex baterista do Dream Theater, Mike Portnoy que se ofereceu para ajudar a completar o disco. E enquanto gravar era a ultima coisa que a banda tinha em mente depois da morte repentina de Sullivan, o álbum se mostrou uma oportunidade para honrar o amigo da maneira que eles melhor sabiam fazer.

“Nós trabalhamos mais pesado do que já tínhamos feito em nossas vidas – a única coisa em nossas mentes era assegurar que o Jimmy receberia a melhor despedida possível. O fato do Nightmare ter se tornado numero 1 foi um grande peso tirado de nossos ombros. Era uma grande confirmação para nós, nossos fãs, para o mundo, na verdade. Nós nunca tínhamos estado em primeiro lugar com um álbum e essa foi a única chance que o Jimmy teria de se tornar parte de algo tão especial como isso.”

Mas foi Portnoy que adicionou algumas partes da bateria em muitas musicas do álbum, pisando para Sullivan até que em 2011 quando o inexperiente, sangue fresco se tornou uma escolha melhor para baterista. Nada pessoal contra Mike Portnoy, insiste Zacky Vengeance, mas a química entre os membros da banda é igualmente importante para a música em si. Então entrou Arin Ilejay…

“Mike é incirvel como músico, pessoa e por ter sido nossa luz no começo. Ele veio até nós e nos ajudou em um momento devastador. O Arin só se ajustou melhor e tem uma química melhor. Nós queríamos alguém que fosse exatamente como éramos quando começamos a banda. Alguém que não toma nada como garantido, alguém que mataria pela oportunidade. Ele tem feito um trabalho maravilhoso, especialmente fazendo parte de um álbum que refletiu um período de devastação que passávamos onde achávamos que toda esperança tinha ido embora”

Entrevista de Zacky a radio WMMR

Postado por Lucas - 28/01/2011 - 64 comentários

Há alguns dias, Zacky Vengeance concedeu uma entrevista a radio WMMR, antes de entrar em palco no show de Reading. Essa entrevista foi gravada em áudio e pode ser conferida aqui. Traduzimos, fizemos um vídeo e legendamos para vocês. Espero que gostem:

Redes Sociais

Último Vídeo

Turnê


    10/01 – Glasgow, Escócia
    12/01 – Newcastle Upon Tyne, Tyne and Wear
    13/01 – Birmingham, Inglaterra
    15/01 – Sheffield, Inglaterra
    16/01 – Manchester, Inglaterra
    18/01 – Nottingham, Inglaterra
    19/01 – Cardiff, País de Gales
    21/01 – Londres, Inglaterra
    22/01 - Londres, Inglaterra
    12/02 – Frankfurt, Alemanha
    13/02 – Hamburgo, Alemanha
    15/02 – Berlim, Alemanha
    16/02 – Düsseldorf, Alemanha
    18/02 - Amsterdam-Zuidoost, Holanda
    20/02 – Estugarda, Alemanha
    21/02 - Rudolfsheim-Fünfhaus, Áustria
    25/02 – Munique, Alemanha
    26/02 – Zurique, Alemanha
    28/02 – Lila, França
    01/03 – Luxemburgo, Luxemburgo
    02/03 – Paris, França
    04/03 – Copenhague, Dinamarca
    07/03 – Helsínquia, Finlândia
    09/03 – Estocolmo, Suécia
    10/03 – Oslo, Noruega
    07/05 – Kannapolis, Carolina do Norte

Facebook