M Shadows fala sobre a gravação de “Hail to the King”

Postado por Lucas - 14/07/2013 - 2 comentários

M Shadows falou com a revista Kerrang! sobre o sexto álbum de estúdio da banda, “Hail to the King”, que será lançado no dia 27 de Agosto. Confira a tradução:

Perguntado de como “Hail to the King” é diferente dos álbuns anteriores, Shadows disse: “Para as últimas gravações, as pessoas tem perguntado o que nós tinhamos ouvido – e são sempre as mesmas coisas, e não mudou. Sempre foi Pantera, Metallica, Megadeth e AC/DC. Nós sentimos que o metal decaiu depois dos anos 90 em termos de produção e composição. O metal não é mais de primeira linha, como costumava ser.”

Ele continua: “Nós resolvemos escrever um álbum que fosse altamente influenciado por gravações do começo dos anos 90 e da metade dos anos 80, que crescemos ouvindo. Então fomos mais pra trás ainda e nos influenciamos em Black Sabbath e Led Zeppelin. Nós estudamos essas gravações, olhamos o que eles fizeram e como eles fizeram. Várias delas vieram do blues, então estudamos blues e música clássica. Só queríamos gravar um álbum que fosse diferente.”

Sobre o sentimento de gravar um álbum completo pela primeira vez sem o Jimmy, Shadows disse: “Quando nós começamos como banda, The Rev não escrevia muito. Até ‘City of Evil’ [2005] e o [autointitulado de 2007] álbum branco, ele não escrevia muito além das partes de bateria. Então nós meio que voltamos para antes disso. Apesar de que definitivamente não gostei muito disso. [No passado], nós chegamos a um ponto após ter escrito seis ou sete músicas e nos sentíamos completamente esgotados. E é aí que ele sempre vinha com umas três ou quatro ótimas músicas, que se encaixavam muito bem no álbum. Ele trouxe uma influência diferente; sempre teve a cabeça toda no metal, e sempre podia escrever em qualquer estilo que você quisesse. Então quando chegamos a seis ou sete músicas para este álbum, nós realmente sentimos a falta dele. Eu realmente desejava que o Jimmy estivesse lá para terminar o álbum. Mas esse não foi o caso, então nós tivemos que usar todo o nosso tempo.”

Shadows também falou sobre como Arin se estabeleceu na banda: “Ele matou neste álbum! Fez tudo o que nós precisamos que ele fizesse. Nós não fomos lá e montamos as batidas pra ele, ou usamos o Pro Tools pra acertar tudo. Ele simplesmente detonou. Ele sabia o que precisava fazer, trabalhou muito na pré-produção e mentalmente esteve no lugar que precisava estar.”

Ele adicionou: “O álbum vai surpreender as pessoas, porque a bateria é completamente diferente do que qualquer coisa que já fizemos. Isto é, por causa de como a composição foi feita. Nós escrevemos músicas que precisavam deste tipo de bateria. Eu conversei com Arin e disse, ‘Veja, as pessoas virão até você por causa de como esse álbum soa. Eles vão pensar que você deveria tocar como o Jimmy e Mike.’ Mas se o The Rev estivesse conosco, é assim que ele teria tocado. Ele não exageraria, ele sentaria lá e tentaria deixá-lo mais poderoso possível, ao invés da técnica que fosse necessária. Eu perguntei para o Arin se ele estava de acordo com isso; perguntei se aceitaria toda aversão que iria receber. Ele disse que estava, e que queria fazer qualquer coisa que fosse melhor para nós e para as músicas.”

Perguntado do quão importante foi para a banda dar um tempo antes de começar a trabalhar no novo CD, Shadows disse: “Nós tivemos a chance de recarregar nossas baterias. Queríamos esperar até alguma inspiração vir até nós. Não queríamos entrar em estúdio tão cedo e lançar qualquer merda. Precisamos de tempo livre porque viajamos por muito tempo, e era hora de sentarmos e relaxarmos. Nós teríamos implodido se tivéssemos gravado um álbum logo depois do fim do ciclo de turnê. Não queremos lançar uma merda; não queremos de repente lançar um álbum terrível por fazer na pressa.”

Ele adicionou: “Nós literalmente relaxamos por alguns meses. E então você se cansa, aí vai gravar porque você está cheio disso. Às vezes, jogado no sofá, você fica inquieto porque você percebe que não poderá fazer apenas aquilo pro resto da sua vida. Todos nós chegamos a esse ponto, então chegamos e fizemos o álbum.”


A seguir, Shadows descreveu três faixas do álbum:

SHEPHERD OF FIRE
“Esta é a primeira música. Apenas ouvindo, você tem a impressão de que foi levado para o inferno. Dos riffs, para os sinos tocando, os trompetes, a batida, parece que você está sendo puxado pra baixo. É bem como Sympathy For The Devil, dos Rolling Stones, tem um demônio falando com você. Ele não é só sobre fogo e enxofre; ele está te levando e te dizendo que pode fazer sua vida melhor do que o cara de cima. Tem uma vibe de tentação, com um caos puro por trás disso.”

REQUIEM
“Nós quisemos fazer um requiem do mal ao invés de todos aqueles, ‘Oh Senhor, me salve.’ Esta é sobre senhor das trevas vir para te salvar e te ressuscitar para o inferno. É louca, uma música doida com orquestras, violinos e todo tipo de loucura. Então tem outras experiências no álbum – eu peguei coisas que acontecem no nosso Johnny’s Bar, e eu explorei na proporção de fazer uma música disso.”

PLANETS
“Essa música é intergalática do tipo Darth Vader – é como uma Marcha Imperial com trompetes e um ataque de metal puro. Tem também outra música chamada ‘Acid Rain’, que segue após ‘Planets’. É a história de amor do que acontece após os planetas se chocarem e você é jogado no espaço com seu amor até morrer. Então tem muitas histórias sombrias e doidas que estão em por todo lugar, mas que são definitivamente muito metal.”


Scans da revista: 01 / 02 / 03

Tradução: Wesley Carlos / Fonte: Blabbermouth

Guitar Center entrevista M Shadows

Postado por Lucas - 24/06/2013 - 3 comentários

M Shadows está na capa da edição Live Recording de Julho da Guitar Center. Na entrevista, Shadows fala sobre vários assuntos abrangendo o novo álbum, como o quão desafiador foi o processo de composição, as diferentes influências de sonoridade, como ele cuida de sua voz tanto na gravação quanto para os shows, detalhes sobre seus vocais nas faixas e muito mais. Se você está ansioso para saber como o novo álbum soará, com certeza ficará muito mais após ler essa entrevista. Neste link você pode conferir algumas fotos exclusivas de Shadows (cortesia do DeathbatNews.com). Leia a seguir a tradução na íntegra:

Se uma coisa fica clara de uma conversa com o M Shadows, é que o Avenged Sevenfold nunca teve medo de ir onde os instintos deles os levavam,  de chegar ao ponto de “resetar” o som da banda, sem ligar para as consequências.

 

A jornada do próximo álbum tem sido desafiadora para o A7X, assim como o processo criativo deles nunca foi acionado para simplesmente ser voltado para o próximo álbum. “Primeiro de tudo”, diz M Shadows “Nós não escrevemos um álbum até que ele venha para nós. Nós não sentamos lá e ficamos procurando por isso, pois é algo que você não pode procurar. Você tem que simplesmente senti-lo e dizer ‘Sabe de uma coisa? Esse ultimo álbum não nos representa mais. É hora de fazer o que sentimos nesse momento’. Por isso que demoramos três anos e meio para lançar um álbum.”

(Ler mais…)

Recado de M.Shadows

Postado por Lucas - 09/05/2013 - 10 comentários

Sintonizando na 13° estação de rádio, no site oficial do Avenged Sevenfold, finalmente podemos escutar algo sobre o novo álbum. Embora não seja uma nova música, é um recado de M. Shadows para os fãs muito interessante. Confira a tradução abaixo:

“Demora um pouco para nos inspirarmos e senti que passamos por muita coisa durante o Nightmare. Sou tão orgulhoso daquele álbum, mas em algum momento você acorda e fala “você pode fazer melhor que aquilo ou pelo menos na altura do que o Avenged Sevenfold tem feito. Um dia você acorda e é isso que você decide fazer e isso exige muito de você. Por aí há varias bandas que lançam dois ou três álbuns e já faz um certo tempo que o Nightmare foi lançado… Infelizmente não trabalhamos nessa rapidez porem estamos a muito animados com isso. O processo esta indo ótimo, tudo soa muito bom! Não vejo a hora de cair na estrada e encontrar alguns amigos, tocar no Brasil, América do Sul, Sudeste da Asia, Europa, voltar para os Estados Unidos, ir para todo lugar, Japão, Canada… Estamos muito animados para isso . Eu estou animado para dar algo aos fãs de novo e espero que eles gostem do que estamos fazendo. Compor esse álbum levou 6, 7 meses e prometemos aos nosso fãs que teríamos isso pronto em janeiro, mas a verdade é que nós tínhamos um monte de musicas boas e queríamos toca-las, não queria só dar um ritmo pras musicas, mas fazer com que elas soassem o melhor possível. Houve dias em que disse, “Quando terminamos esse álbum, eu quero ser completamente sugado de toda a criatividade. E no final do processo de criação, eu me senti desse jeito com certeza. Eu sei que ele se sentiu, os caras se sentiram, quando chegamos nesse ponto, nós sabíamos que tínhamos o melhor material que poderíamos fazer, não era só tocar e pronto, então no momento o que estamos fazendo é isso, tudo soa ótimo e eu acho que esse é o máximo que já demoramos pra fazer um álbum. Ainda precisamos fazer a mix final, a masterização.”

M.Shadows: “O Rock in Rio está abrindo muitas portas para nós”

Postado por Lucas - 08/04/2013 - 9 comentários

Em uma entrevista concedida a Rock Sound Magazine, que foi publicada em Março desse ano, Shadows falou sobre Carry On, novo álbum e Rock in Rio. Confira a tradução abaixo:

Como vocês tornaram “Carry On” uma faixa na trilha sonora do COD e como a música foi composta?

O envolvimento com o jogo começou com uma amizade que temos com os caras da Treyarch. Temos trabalhado com a Activion por um tempo para a licenciatura da música , mas o lance com a Treyarch aconteceu devido a eu amar COD, jogando os jogos até demais (risos). Quando Black Ops II começou a ser criado eu ia lá pra jogar o jogo ainda no estudio e eventualmente eles me perguntaram se eu gostaria de contribuir com uma música que se tornou “Carry On”. Tivemos bons momentos com isso.

No geral, como o processo de composição esta indo? Obviamente estamos ansiosos para ouvir no que vocês tem trabalhado para o próximo álbum…

Passamos por tudo desde musica clássica até AC/DC na vibe que queremos. Sem The Rev , estamos sentindo falta de elementos chave . Normalmente eu e Brian (Synyster Gates) sentaríamos e escreveríamos algumas coisas letras e The Rev opinaria. Agora o material será um pouco mais demorado [devido a isso] , porém estamos tentando lapidar nossas habilidades para outros níveis.

Como você diria que esta soando o novo álbum até agora?

Diria que a vibe dele é a maior, mais focada. Do WTF para o COE foi uma grande diferença para as pessoas. E por um tempo, no começo, as pessoas ficaram meio desapontadas, eventualmente ele se tornou nosso maior álbum. Não acho que haverá um alvoroço com esse álbum porque as pessoas esperam que a gente mude agora. Esse é um álbum groove, com grande riffs e muito poder . Espero que as pessoas gostem!!

Como vocês se sentem sobre entrar com tudo em 2013? Você acha que estão preparados para atingir um novo com esse novo?

Com certeza. Mesmo sem ter lançado o álbum, conversamos com as pessoas sobre o Download Festival do ano vem e no ano após. Isso é muito importante para nós. Estamos no Rock in Rio pela primeira vez ano que vem – abrindo para o Iron Maiden – e isso está abrindo muitas portas para nós . A verdade é, sabemos que só há uma coisa que pode nos colocar nesse nivel e essa coisa é lançar um otimo álbum. Uma vez que se lança música boa, ela falar por se própria, porém se é lançado algo ruim, ela é esquecida.

Quais são os planos pra banda , desse ano pra frente?

Haverá muito trabalho no começo, ficar no estúdio, e estamos trabalhando em um DVD também. A outra metade, será trabalho porém descansaremos um pouco também . Estaremos diante de computador e tocando riffs por dias e isso acaba nos desgastando. Então será legal viajar o mundo novamente, tocar nos shows. Espero que seja assim que o ano termine.

Confira um scan da entrevista clicando aqui.

Próximo álbum do Avenged Sevenfold entre os mais aguardados de 2013

Postado por Lucas - 19/01/2013 - 110 comentários

A MTV Hive e a Loudwire fizeram uma lista dos álbum mais aguardado por eles em 2013, com o Avenged Sevenfold fazendo parte de ambas.

MTV Hive

Avenged Sevenfold – A ser anunciado.
Em uma recente entrevista para a Revolver, o vocalista do Avenged Sevenfold, M.Shadows, disse que ele tem dado algumas instruções para o baterista do grupo, Arin Ilejay – que fará sua estreia tocando todas as faixas junto com a banda no próximo álbum – nas maiores influencias deles: Pantera, Metallica, Slayer, Megadeth etc. “No momento, estamos entregando a ele Far Beyond Driven (álbum do Pantera) e Master of Puppets (álbum do Metallica) e dizendo a ele “aprenda a tocar esses álbuns”, porque quando dizemos “groove metal” não estamos falando de nenhuma banda que toca em Warped Tour” ele disse. “Estamos falando de Pantera. Estamos falando de Black Sabbath, sabe?” Para a banda, o último álbum foi em 2010. Nightmare teve alguns hooks e musicas épicas de longa duração, cuja inspiração veio do Metallica pioneiro nos anos 90. Antes que o novo álbum seja lançado, nós temos a musica que eles compuseram para o último Call of Duty, só para a gente aguentar esperar.

Loudwire
Avenged Sevenfold
Durante a ultima década, o Avenged Sevenfold se tornou uma das maiores bandas de hard rock do planeta e isso soa como se a banda estivesse visando alto o próximo álbum. O vocalista M.Shadows recentemente disse a Metal Hammer que o disco tem uma vibe de Black Sabbath/Led Zeppelin e que o álbum levara a banda pra um “nível completamente diferente.” A banda está pretendendo entrar no estúdio em janeiro ou final de fevereiro para lançar o álbum no verão de 2013.

Trecho da Revolver Magazine 2013: Os álbuns mais esperados do ano

Postado por Lucas - 08/01/2013 - 52 comentários

A Revolver Magazine divulgou os álbuns mais esperados por eles em 2013 e o Avenged Sevenfold está na lista.

Avenged Sevenfold
Titulo: A ser anunciado
Data de lançamento: Primavera/Verão (americano)
Mesmo que eles não tenham lançado nenhum álbum no ano passado, o Avenged Sevenfold teve um 2012 bem cheio. Eles ganharam os prêmios da Revolver Golden Gods de “Melhor Banda ao vivo” e  ”Fãs Mais Dedicados”, tocaram no festival do Metallica  ”Orion Music Festival + More”, lançaram a música “Carry On” que está no Call of Duty: Black Ops II e apareceram como personagens de videogame . Em uma entrevista exclusiva no final de 2012, o vocalista M.Shadows disse à Revolver que a banda já escreveu seis novas músicas e que elas tem uma pegada de Black Sabbath e metal clássico. Considere-nos super interessados nisso!

Redes Sociais

Último Vídeo

Turnê


    05/07 – SAN BERNADINO, Califórnia
    06/07 - MOUNTAIN VIEW, Califórnia
    08/07 – AUBURN, Washington
    09/07 – NAMPA, Idaho
    11/07 – PHOENIX, Arizona
    12/07 – ALBUQUERQUE, Novo México
    14/07 – DENVER, Colorado
    16/07 – MARYLAND HEIGHTS, Missouri
    17/07 – CLARKSTON, Michigan
    19/07 – NOBLESVILLE, Indiana
    20/07 – TINLEY PARK, Illinois
    22/07 – MANSFIELD, Massachusetts
    23/07 – SARATOGA, Nova Iorque
    25/07 – TORONTO, Canadá
    26/07 – BURGETTSTOWN, Pensilvânia
    27/07 – HARTFORD, Connecticut
    29/07 – DARIEN CENTER, Nova Iorque
    30/07 – WANTAGH, Nova Iorque
    01/08 – CAMDEN, Nova Jersei
    02/08 – SCRANTON, Pensilvânia
    03/08 – BRISTOW, Virginia
    05/08 – ATLANTA, Geórgia
    07/08 – OKLAHOMA CITY, Oklahoma
    09/08 – DALLAS, Texas
    10/08 – THE WOODLANDS, Texas
    16/08 - OSAKA, Japão
    17/08 - TÓKIO, Japão

Facebook